sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O Mel na História - Épocas Remotas

A atracção pelo doce não é uma característica exclusiva do Homem moderno e não existe nenhuma razão que evoque o contrário. O açúcar só assumiu o protagonismo na doçaria a partir do século XVI, embora tenha chegado ao Mediterrâneo tão cedo quanto século VIII, vindo do Oriente. A cana-de-açúcar é originária do pacífico Sul, mas tudo indica que os Chineses construíram o primeiro moinho de açúcar por volta do ano 2000 a.C.


Os mais antigos registos de que há conhecimento sobre a prática da Apicultura datam do Mesolítico, cerca de 8000 a.C. As pinturas rupestres de La Arana, Espanha, mostram uma figura feminina a recolher mel de uma reentrância no alto de um rochedo ou árvore, segurando um cesto com uma das mãos, conforme se pode observar nesta imagem da autoria de Maude Davies. Pela rocha distinguem-se pequenos desenhos de abelhas e não há evidência de qualquer tipo de protecção, como uma fonte de fumo, por exemplo, o que nos leva a assumir que a recompensa está à altura do sacrifício. Outras gravuras encontradas na África do Sul e na Índia remetem-nos igualmente para actividades apícolas, não sem algumas reservas, porém.


O 26º Congresso de Apicultura, que teve lugar em 1979, usou como emblema um pendente de ouro com a forma de duas abelhas encontrado em Creta e datado de cerca de 1700 a.C., considerado um símbolo de fertilidade. A maestria do trabalho sugere um conhecimento alargado sobre a Apicultura.

Sem comentários:

Enviar um comentário