quarta-feira, 10 de março de 2010

O Mel na História - Idade Média

Na Idade Média, o vinho deteriorava-se com muita facilidade, em parte devido aos contentores de armazenamento e de transporte − barricas de madeira, em substituição das antigas ânforas romanas − e em parte resultante das leis régias e senhoriais que impediam os pequenos proprietários de vender o seu vinho antes de os senhores e do próprio rei terem comercializado o deles. Assim, o vinho chegava, muitas vezes, ao consumidor com um gosto amargo, pelo que nas tabernas lhe era usualmente adicionado mel.

O hidromel é considerado por muitos autores como tendo sido a primeira bebida alcoólica fabricada pelo Homem. A lenda conta que S. Martinho não apenas partilhou a sua capa com o mendigo, mas também lhe ofereceu hidromel para o aquecer naquela noite fria.

No entanto, durante a época medieval a apicultura sofreu um enorme retrocesso e, no Renascimento, com a generalização do açúcar, quase foi esquecida. O processo de extracção passava pelo sufocamento das abelhas (apicídio), o que comprova o total desconhecimento das técnicas apícolas que apenas algumas congregações religiosas souberam preservar.

A apicultura só voltaria ser encarada como indústria a partir do século XIX com a revalorização do preço do mel e da cera, em consequência da Revolução Industrial.

2 comentários:

  1. Fico sempre encantada com as coisas que tu sabes, com a forma melodiosa como expões as coisas.
    Eu que nem gosto de mel, até me apetecia comer um bocadinho! (mal sentisse o cheiro a vontade passava-me logo)
    ]:-)
    enxofre

    ResponderEliminar
  2. Eu sou viciada em mel...(podia ser pior!!)
    Este ano vamos ter novas rainhas e voltar a produzir em força!
    Beijos

    ResponderEliminar