terça-feira, 30 de março de 2010

O Labor das Abelhas

Nas últimas décadas, a eficiência das abelhas, enquanto insectos polinizadores, tem conduzido à sua introdução no sector agrícola. O papel desempenhado pela apis melifera é ainda maior quando se trata de floração selvagem. As abelhas transportam o pólen nas patas, recolhendo-o nas anteras dos estames (androceu) de umas flores e largando-o, por acidente, nos carpelos (gineceu) de outras, contribuindo, assim, para a fecundação e geração de novas sementes. Estima-se que cerca de 75% da flora fanerogâmica selvagem, em particular a que floresce no fim do Inverno ou no início da Primavera, parece depender quase exclusivamente da ajuda dos insectos para poder reproduzir-se. Em começos de Março, os abelhões ainda não tiveram tempo de construir as suas colónias e o número de insectos polinizadores revela-se quase sempre insuficiente para abranger uma vasta área de campo florido. Se a este facto próprio da Natureza somarmos o desinteresse e o descuido das pessoas, então será fácil perceber por que motivo vemos rarear espécies que outrora foram consideradas tão comuns.
Por norma, nunca recolho plantas antes da floração, ou seja, antes de ter havido tempo para que estas se possam ter reproduzido. Também devemos imitar a temperança das abelhas e colher alternadamente as flores, evitando apanhar todos os exemplares de uma espécie numa determinada área, ou reduziremos as hipóteses de intercâmbio de pólenes. E porque raramente necessitamos das sementes, convém termos o cuidado de deixá-las na terra. Para tal, basta sacudirmos os ramos de modo a fazê-los largar as sementes. O mesmo é válido para espécies micológicas, embora neste caso o processo divirja, uma vez que os cogumelos não dão qualquer tipo de semente. Por se tratarem de fungos, costuma-se deixar no local da colheita pequenos pedacinhos das umbelas (chapéu do cogumelo) para que o fungo volte a multiplicar-se.
Se estimamos as plantas e se delas necessitamos, certamente gostaremos de saber que podemos reencontrá-las nos mesmos sítios nos anos seguintes.


 Feliz Primavera!


Sem comentários:

Enviar um comentário