terça-feira, 20 de abril de 2010

Chagas, As Flores dos Incas

No século XVI, os conquistadores espanhóis que invadiram violentamente o grande império Inca, o Tahuantinsuyo, trouxeram para a Europa as sementes desta útil e bela trepadeira, juntamente com o ouro do resgate de Atahualpa, filho do muito prestigiado Sapa Inca, Huaina Capac.
Esta fotografia foi tirada nas escarpas marítimas da Assenta, Torres Vedras, onde esta valiosa planta fixou há muito as suas raízes.


Taxonomia
Nome latino: Tropaelum majus L.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Geraniales
Família: Tropaeoláceas
Nomes comuns: Mastruço-do-perú, papagaios (Açores), chagas, capuchinhas, flor-de-pavão (Brasil).
Identificação: Planta trepadeira, de folhas verde-claras, grandes, largas, arredondadas, por vezes manchadas de branco esverdeado, e palminérveas. Flores orbiculares, solitárias, grandes, cuja coloração varia entre o amarelo e o vermelho-escuro. O fruto é um elatério.
Distribuição: Oriunda do Peru, encontra-se distribuída ao longo da costa ibérica.
Princípios activos: Glicotropaeolina, glicósido.
Partes usadas: Folhas e flores.
Usos: Antibiótico, infecções do aparelho urinário. Também usado no tratamento de problemas respiratórios. Externamente, sob a forma de tintura, é empregue no caso de erupções da pele e como anti-séptico para feridas. As suas sementes, reduzidas a pó e misturadas com mel, constituem um laxante eficaz que não provoca cólicas.
Curiosidades: De sabor picante, as folhas são muito usadas em saladas. Em Espanha, os frutos são usados em substituição das alcaparras, bem como as flores conservadas em vinagre.

Sem comentários:

Enviar um comentário