segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Aromaterapia e Ondas Cerebrais

«Um banho aromatizado e uma massagem com óleos essenciais são a melhor forma de conservarmos a saúde
Hipócrates (século IV a.C.)

Muito antes de este famoso médico grego ter escrito estas palavras, já a humanidade se apercebera de que os aromas tinham um forte poder estimulante sobre o organismo humano, isto porque os seus efeitos são imediatos e bastante notórios, ninguém fica indiferente a um aroma, seja ele lenitivo, aperitivo ou nauseante.
As moléculas aromáticas são bastante semelhantes à música no que toca ao estímulo e propagação de determinadas ondas cerebrais, cuja amplitude determina a produção hormonal que regula o nosso corpo. Há, assim, aromas que ao actuarem sobre o hemisfério esquerdo do cérebro provocam o aumento cadenciado das ondas beta, o que nos conduz a estados de maior lucidez, úteis quando temos de levar a cabo tarefas que requerem o máximo da nossa concentração, como estudar, trabalhar ou realizar cálculos. Outros aromas estimulam o hemisfério direito, levando ao incremento das ondas de baixa frequência, como as alpha e as theta, que induzem estados de paz, reduzem o stress, auxiliam nas práticas de yoga e meditação e exercem uma acção tonificante sobre a tiróide, retardando o envelhecimento e controlando o peso através de uma melhoria significativa da qualidade do sono delta. 
Há que ter em conta que o mesmo aroma pode desencadear diferentes ondas cerebrais consoante as misturas e as quantidades. Eis alguns exemplos.

Concentração (ondas beta)
  • Cadamomo
  • Manjericão
  • Bergamota
  • Canela
  • Toranja
  • Eucalipto
Anti-stress (ondas alpha)
  • Gerânio
  • Flor-de-laranjeira
  • Patchouli
  • Osmanto
  • Erva-príncipe
  • Narciso
  • Salva 
  • Bétula
  • Cidreira
Anti-insónia (ondas theta e delta)
  • Camomila
  • Gerânio
  • Sândalo
  • Limão
  • Vetiver
  • Majerona

Sem comentários:

Enviar um comentário